segunda-feira, 28 de junho de 2010

SONETO XXXIX

Pablo Neruda

Mas esqueci que tuas mãos satisfaziam
as raízes, regando rosas emaranhadas,
até que floresceram tuas digitais pisadas
na plenária paz da natureza.

O enxadão e a água como animais teus
te acompanham, mordendo e lambendo a terra,
é assim como, trabalhando, desprendes
fecundidade, fogoso viço de cravos.

Amor e honra de abelhas peço para tuas mãos
que na terra confundem sua estirpe transparente,
e até em meu coração abrem sua agricultura,

de tal modo que sou como pedra queimada
que de súbito, contigo, canta, porque recebe
a água dos bosques por tua voz conduzida.


Do livro: Cem sonetos de amor

12 comentários:

Zé do Cão disse...

Bom gosto, ao apresentar-nos poemas do "Neruda".
Todos os meus contos, são passagens da minha vida.
Dado ter visitado Portugal, alvitro passar pelo meu canto e ver o conto de 20/1/09 e veja só o que aconteceu a duas "sortudas" brasileiras que tiveram a sorte de encontrar em Lisboa, o Zé no seu caminho
Jinhos para si

Mari disse...

Olá, Cida! Ultimamente me chamou a atenção seus simpáticos comentários no blog da Avogi. Então resolvi conhecer teu blog e achei muito bonito!
Neruda é um dos meus favoritos! Esse soneto ainda não conhecia. Fiz bem de vir :)
Beijos

Bergilde Croce disse...

Linda imagem e muito criativa abinada ao soneto que é de uma sutilidade incrível!
Minha amiga boa semana pra ti por aí!

Lita disse...

Não conheço muito de Neruda, mas este soneto despertou em mim muita curiosidade... é lindo o profundo. Tem luz!! Conduz-nos por entre as palavras...

****** Lita

Thabata Freitas disse...

Nossa Cida... ótima escolha, algo escrito com o coração. Quando algo tem alma nos toca

Bjsss

Thabata Freitas

Zélia Guardiano disse...

Que encantamento, Cida!
Pablo Neruda... Para que mais palavras? Aquilo que escolheste , basta, para que o mundo fique diferente...
Imenso abraço, querida amiga!

Chica disse...

Lindíssimo soneto e Neruda é maravilhoso!beijos,chica

Sergio Milani disse...

Perfeita a imagem que ilustra este soneto do grande Neruda... parabéns!

guida disse...

Uma imagem muito bonita!

AVOGI disse...

mas hoje só leio PAblo NerudA? hã? mas as bloguistas hoje só escrevem Pablo neruda? mas porque ? é o dia dele? mi diga voce qui eu nao sei nao minina. hihihi

Aninha Zocchio disse...

Cida, não me canso de dizer o quanto está lindo seu blog!
Bom agradeço seus recadinhos tão singelos viu!
Quanto a nossa amiga Bete, sim a conheço, e esses dias ela está sem telefone esses dias. As coisas não andam fáceis, mas ela está caminhando. Uma guerreira também! Beijo e obrigada por sua amizade!!

Jorge Pimenta disse...

não há poesia como a de neruda... é daqueles que lemos em reverência sentida, como se a genialidade ali começasse e ali terminasse.
um beijo!