sexta-feira, 28 de maio de 2010

Caminhando


Conta-se uma fábula sobre um homem que caminhava vacilante pela estrada, levando uma grande pedra numa mão e um tijolo na outra.

Nas costas carregava um saco de terra; em volta do peito trazia vinhas penduradas.

Pelo caminho encontrou um transeunte que lhe perguntou: 'Cansado viajante, por que carrega essa pedra tão grande?'

'É estranho', respondeu o viajante, 'mas eu nunca tinha realmente notado que a carregava.

' Então, ele jogou a pedra fora e se sentiu muito melhor.

Em seguida veio outro transeunte que lhe perguntou: 'Diga-me, cansado viajante, por que carrega esse saco de terra tão pesado?'

'Estou contente que me tenha feito essa pergunta', disse o viajante, 'porque eu não tinha percebido o que estava fazendo comigo mesmo.

' Então ele jogou o saco de terra fora e continuou seu caminho com passos muito mais leves.

Um por um, os transeuntes foram avisando-o a respeito de suas cargas desnecessárias.

E ele foi abandonando uma a uma.

Por fim, tornou-se um homem livre e caminhou mais tranquilo e mais feliz.

Qual era na verdade o problema dele?

A pedra, o saco de terra?

Não.

Era a falta de consciência da existência desses pesos.

Uma vez que as viu como cargas desnecessárias, livrou-se delas bem depressa e já não se sentia mais tão cansado.

*******************************************************************************************

Esse é o problema de muitas pessoas.

Elas estão carregando cargas sem perceber.

Não é de se estranhar que estejam tão desanimadas!

O que são algumas dessas cargas que pesam na mente de uma pessoa e que roubam as suas energias?


a. Pensamentos negativos.
b. Culpar e acusar outras pessoas.
c. Pemitir que impressões tenebrosas descansem na mente.
d. Carregar uma falsa carga de culpa por coisas que não poderiam ter evitado.
e. Auto-piedade.
f. Acreditar que não existe saída.

Todo mundo tem o seu tipo de carga especial, que rouba energia.

Quanto mais cedo começarmos a descarregá-la, mais cedo nos sentiremos melhor e caminharemos mais levemente."

(Extraído do livro "Psycho-Pictography", de Vernon Howard.)

4 comentários:

Mariazita disse...

Olá, Amiga Cida
Muito bonita esta história, e bem elucidativa dos pesos inúteis que carregamos e de que é urgente aliviarmo-nos.
Há tanta coisa de que não podemos mesmo livrar-nos (cuidado com os filhos e netos, e com a família dum modo geral, por exemplo) que tudo o resto, que só serve para nos sebrecarregar, tem que ser deitado fora.
Muito boa postagem.

Beijinhos

Zélia Guardiano disse...

Oi, Cida, minha boa amiga!
Cá estou eu, reabastecendo o espirito...
Li com muita atenção e reli.
Ando carregando pedra. Ando carregando saco de terra, ando carregando...coisas. Coisas desnecessárias.
Sua postagem serviu-me como luva... Aliás, tem sido sempre assim. É por isso que venho sempre e, naturalmente, por ser você esta pessoa adorável!
Muito grata, querida!
Beijinhos preenchidos de gratidão.

Maria Helena disse...

Acho que todos nós em algum momento carregamos pesos inúteis.Como as vezes é difícil deixá-los para trás!

beth disse...

nossa esse texto é td d bom, e a mais pura vdd........ ah, e obrigado pelas palavras carinhosas q me dx!!!!!!!!!!!bjks